Incêndio destrói prédio do Museu da Cachaça e queima 200 mil litros de aguardente envelhecido. Fogo teria iniciado com curto circuito. Cerca de 80 mil litros de água foram utilizados pelo Corpo de Bombeiros. Ninguém saiu ferido

Duzentos mil litros de aguardente envelhecido (40 anos) foram consumidos em um incêndio, ontem à tarde, no Museu da Cachaça, em Maranguape, na Região Metropolitana de Fortaleza. De acordo com os primeiros levantamentos do Instituto de Criminalística, um curto circuito teria atingido o prédio do Botequim, que representava um bar da década de 30 no museu. As faíscas alcançaram 12 tonéis e 15 barris. Apesar da velocidade com que o fogo se alastrou, o combate inicial realizado pela brigada de incêndio do museu evitou que um grupo de turistas se ferisse. Em nota oficial, a direção do museu confirmou que não houve feridos e que o equipamento cultural voltará a ser aberto ao público no próximo dia 6.

Em 20 minutos de incêndio, as chamas já haviam destuído parte da estrutura do prédio datado de 1846. As explosões dos tonéis foram evitadas com a chegada do Corpo de Bombeiros. Trinta homens, em seis viaturas, despejaram durante cinco horas cerca de 80 mil litros de água. Para o major Leandro Marinho, que comandou as ações de combate, o incêndio somente não se alastrou para outros compartimentos do museu por causa dos fracos ventos.

"O fogo ficou concentrado nos tonéis. O que não facilitou o trabalho de combate, pois a temperatura do lugar ficou infernal. Não há como calcular o calor de 200 mil litros de cachaça em chamas", comentou o oficial.

Segundo a supervisora de atendimento do museu, Paula Sena, não houve pânico entre os visitantes da fazenda, que possui um total de 630 hectares. Para a supervisora, a ação rápida da brigada de incêndio e a pouca quantidade de visitantes, no horário, favoreceu para que todos saíssem ilesos. De acordo com Paula Sena, aos domingos o número de visitas chega a mil pessoas. "São adultos e crianças, a maioria de Fortaleza. Algumas pessoas pensam que o museu é só cachaça. Mas atrai muitas crianças pelos passeios de charrete e pedalinhos.

O Museu da Cachaça fica localizado na fábrica da empresa Ypióca. Seu acervo é composto de moendas e máquinas antigas, incluindo o primeiro trator importado na história do Ceará, na década de 30. A Casa Grande foi construída, em 1856, em estilo Colonial.

CURIOSIDADE

Com oito metros de altura e 7,5 metros de diâmetro, um tonel do Museu da Cachaça consta no Livro dos Recordes (Guinness Book), como o maior armazenador de aguardente no mundo, em madeira (carvalho). São 374 mil litros, suficientes para abastecer 31,2 mil caixas de aguardente, ou para 7,2 milhões de doses. Ele fica do lado de fora da fazenda, em uma casa própria, e não foi atingido pelo incêndio. Todos os barris e tonéis em madeira devem estar sempre cheios, como forma de evitar a dilatação da madeira.

Retour à l'accueil