Estações Sismográficas registraram, nas últimas 24 horas, 300 abalos sísmicos na zona norte

 

Sobral. Após os tremores de terra que assustaram a população da região norte, durante todo o dia de ontem, o chefe do Laboratório de Sismologia da Defesa Civil do Estado do Ceará, Francisco das Chagas Brandão Melo, alertou que o fenômeno deverá ocorrer novamente. “A população vai ter de se acostumar, porque a possibilidade de isso acontecer novamente é grande”.

 

Já o coordenador do Laboratório de Sismologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Joaquim Mendes Ferreira, informa que os temores de terra registrados nas últimas horas na região Norte caracterizam “enxame sísmico”.

 

“A mensagem é de que, das 22h40 do último dia 28 até as 16h30 de ontem, foram cerca de 300 eventos. Quanto às magnitudes e onde ocorreram, só poderemos precisar nas próximas horas. Mas adianto que, quando há enxame sísmico, não se pode prever aumento ou diminuição”, afirmou o doutor em geofísica.

 

Do dia 28 de janeiro deste ano, quando os abalos sísmicos começaram com maior freqüência na região, até dois dias atrás, cerca de 80 tremores haviam sido registrados pelas Estações Sismográficas do Projeto Milênio.

 

Acidente

 

No fim da tarde, o Diário do Nordeste flagrou, com exclusividade, o capotamento de um veículo de lotação. De acordo depoimentos dos passageiros e do próprio motorista Manuel Messias de Araújo, ele teria perdido o controle devido um forte tremor de terra na estrada.

 

O acidente ocorreu na saída de Sobral, nas proximidades do lixão, por volta das 17 horas. “Vi o carro da frente puxando de um lado para outro. Quase entrando no mato. Mas ele se firmou e seguiu em frente. Achei estranho, mas quando passei no mesmo ponto senti a terra tremendo muito, uma energia forte. Como o carro vinha pesado, com gente e mercadoria, não deu para controlar a direção. O carro balançou, mas pegou no meio fio, quebrou o eixo dianteiro e entrou no mato”, relatou o motorista.

 

A narração foi a mesma dos 16 passageiros que seguiam para suas casas na F1000, de placa HUE 7870, cabine dupla, de cor azul, que ficou praticamente destruída após o acidente.

 

“Foi tudo rápido e estranho. Achei esquisito aquele carro na frente de um lado para o outro do mato. Depois, no mesmo ponto, fomos nós. Quando ia chegando perto da pedra de São Pedro, ouvi aquele tremor forte, um barulho muito alto, e o carro virando. Nós nascemos de novo”, relatou a passageira Socorro Sales.

 

 

Retour à l'accueil