Fortaleza. Os reservatórios do Estado podem ter um acréscimo, a partir deste mês, no volume de água armazenada. Pelo menos é o que indica a previsão apontada pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) para a estação chuvosa deste. Com base na análise do órgão feita em janeiro último, o meteorologista Paulo Barbieri, afirma que as chuvas devem ficar 40% acima da média de cada região do Estado. “A previsão continua a mesma para o período chuvoso, mas pode variar porque existem regiões onde se chove mais e outras menos”, diz.

As regiões apontadas por Barbieri têm como médias pluviométricas as seguintes: Litoral Norte, com uma média de 864,8mm; Litoral do Pecém, 751,1mm; Fortaleza, 903,1mm; Maciço de Baturité, 854mm; Serra da Ibiapaba, 850,5mm; Região Jaguaribana, 662,3mm; Cariri, 645,7mm; e Sertão Central, com uma média de 547,4mm. Barbieri considera que a quantidade de chuvas registradas no Estado até agora é boa, confirmando a expectativa da Funceme para este período.

Segundo o meteorologista, os estudos de previsão são realizados com base em modelos numéricos compatíveis às especificidades da região Nordeste, mas também se baseiam em modelos adotados em São Paulo, Brasília e Estados Unidos. “Nos reunimos para discutir os resultados dos modelos e saber se os mesmos estão apontando mais chuvas. Daí, verifica-se a probabilidade de precipitações no Estado”, explica o meteorologista da Funceme.

Além das previsões para o Ceará, Barbieri aponta Maranhão e Piauí como os Estados que são melhores beneficiados com as chuvas, seguidos do Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco. Nestes últimos três Estados, o período de chuvas começa a partir de abril e maio. “Como se consolidará a estação chuvosa no Nordeste ainda não sabemos. A previsão é que fique acima da média”, afirma ele.

Chuvas intensas

Em Limoeiro do Norte, no Vale do Jaguaribe, a chuva registrada na madrugada de ontem, foi de apenas 33mm. No entanto, por mais que tenha sido um volume razoavelmente baixo, a precipitação foi bastante intensa. Os vendavais são comuns na região neste período do ano causados pela formação de nuvens e das condições do clima atmosférico quente e seco. A preocupação quanto as chuvas intensas acompanhadas de fortes ventos é constante entre os agricultores, que temem perder a lavoura. Na semana passada, o Diário do Nordeste publicou reportagem sobre os estragos causados ao município em decorrência da chuva intensa na região. Foram derrubados 100 hectares de bananas e parte de telhados foram arrancados.

SAIBA MAIS

Reserva

O Estado do Ceará possui 127 açudes distribuídos pelas 11 bacias hidrográficas, monitoradas pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh).

Limite

Do total de açudes, apenas oito encontram-se no limite mínimo operacional. São eles: Açude Capitão Mor, em Pedra Branca; Farias de Sousa, em Nova Russas; Faé, em Quixelô; Forquilha II, em Tauá; Potiretama, em Potiretama; Quincoé, em Acopiara; Santa Maria de Aracati, em Sobral; e Souza, em Canindé.

Sangria

Apenas dois açudes encontram-se em sangramento. O Gomes, em Mauriti, com capacidade total de volume armazenado e Colina, em Quiterinópolis, que apresenta cota de sangria.

Retour à l'accueil