Pedaços de PET, latas de refrigerante, sacolas de supermercado e pneus são matéria-prima para peças de moda em Sobral

Sobral. “Nada é lixo, tudo é matéria-prima”. É com esse lema que este município vem desenvolvendo um trabalho, no mínimo, necessário: transformar materiais que iriam poluir o meio ambiente, em peças bonitas e com novas utilidades.

De acordo com a titular da Secretaria de Saneamento e Habitação (Sehabs), Juraci Neves, o diferencial desse projeto é a busca de alternativas práticas para problemas atuais. “Esse trabalho minimiza a produção do lixo, dialoga com a questão do saneamento e da reciclagem, desenvolve novas atitudes em relação ao consumo e estimula reflexão a respeito das questões ambientais, entre seres humanos e natureza”, destacou a secretária.

Circuito de Feiras

As peças produzidas na Sede da Oficina da Reciclagem de Sobral, por jovens e adultos dos bairros Vila Recanto, Conjunto Santo Antônio, Conjunto São Francisco, Santa Clara e outros, são apresentadas nas comunidades através da montagem do Circuito de Feiras Sobral Recicla, chamados de “EcoDesfiles”. “O Sobral Recicla desenvolve atividades de sensibilização junto às escolas e comunidades para mostrar possibilidades da reutilização de materiais recicláveis e reutilizáveis. Tudo isso acontece como forma de minimizar o volume de lixo gerado, como opção na criação de objetos e aumento da renda familiar”, destacou Juraci.

Ela ressaltou, ainda, que, com a parceria da Secretaria da Tecnologia e Desenvolvimento Econômico (STDE), a ação teve especial aceitação dos artesãos e, rapidamente, se expandiu entre a população.

Preservar a natureza, buscar qualidade de vida e reutilizar materiais plásticos, tudo isso transformado em moda.

No EcoDesfile, a EcoCriatividade de estilistas e modelos rendem peças feitas com pedaços de PET, anéis de lata de refrigerantes, sacolas de supermercados, pneus e outros. Na ocasião, são apresentadas mostra de roupas, bijuterias e acessórios confeccionados com material reciclado e alternativo.

“Esse trabalho chama atenção para a reciclagem de resíduos que seriam lançados no meio ambiente e mostra que tudo pode ser transformado. Os materiais utilizados na elaboração das EcoColeções vão desde lacre de latinha e plástico azul, que vem dentro da tampinha de refrigerante, até os chamados resíduos têxteis, que são beiradas de malha, sobras de tecido”, disse Juraci.

E continuou: “O EcoDesign é a resposta do mundo fashion para mostrar que criatividade e estilo transformam lixo e impacto ambiental, em beleza e grife. Isto é o que mostra o EcoDesfile, onde os “looks” são produzidos com materiais recicláveis e o guarda-roupa ecologicamente correto é apresentado através do desfile de EcoColeções de objetos e roupas confeccionados com materiais reaproveitáveis ou reciclados que, transformados, tornam-se únicos”, elogiou a secretária.

Roupas customizadas

Nas EcoOficinas, os participantes aprendem a elaborar objetos feitos totalmente, ou parcialmente, com materiais recicláveis e a confeccionar roupas customizadas com artigos já reciclados, onde têm oportunidade de criar, produzir e desenvolver ações e peças que envolvem design gráfico, moda e produtos inovadores.

Outra novidade do projeto foi a confecção de vestidos de noiva feitos de sacolas plásticas de supermercado, lacres de refrigerantes, tecidos de saco de açúcar tingidos, pedaços de plástico bolha e embalagens diversas de biscoito.

“Trabalhamos em cima do grande vilão do meio ambiente que são os sacos plásticos de supermercados. Neste momento, estamos experimentando cuidados e atitudes que devemos ter com lixo, limpeza urbana, saneamento ambiental e, também, espaços para pensarmos no imenso potencial artístico que existe na reciclagem como meio de produzir arte e preservar a vida no planeta”, disse Juraci.

Segundo a secretária de Habitação de Sobral, a evolução do projeto se deve ao vínculo com questões de emprego e renda, a partir do treinamento em confecção de artesanato oriundos de plásticos PET, que não exigem custos, nem investimento inicial.

“Esse projeto envolveu costureiras, sacoleiras e jovens dos bairros. Ano passado, transformamos os tecidos de tear produzidos no distrito de Rafael Arruda, em belas roupas. Tudo isso está agregado à questão da habitação social, emprego e renda. Como Secretaria da Habitação e Saneamento Ambiental, trabalhamos o lixo produzido na cidade”, explicou a secretária Juraci.

Natercia Rocha - Repórter

Mais informações:

Secretaria da Habitação e Saneamento Ambiental (Sehabs)

Rua Viriato de Medeiros, 1.250, 3º andar, Centro, Sobral

(88) 3677.1160

Publicado no Diario do Nordeste o dia 15 de maio 2008

Retour à l'accueil