Um pedaço da Mata Atlântica no meio das construções da cidade. Um espaço que abriga diversas espécies de árvores e de animais e onde o sol e o vento, filtrados pelo verde, criam um clima ameno e agradável. Essas sensações são sentidas tão logo se envereda através da Floresta do Curió, considerada o último enclave de Mata Atlântica em Fortaleza. O espaço será inaugurado amanhã, Dia Mundial do Meio Ambiente.

Um convênio entre o Governo do Estado e o Instituto Natureza Viva (INV) será firmado para a gestão compartilhada da floresta. São 57,35 hectares de área verde entrecortados por três trilhas, cada uma com mais de dois quilômetros. Mais de 80 espécies de árvores foram catalogadas - algumas delas estão ameaçadas de extinção. Dois destaques da área são o vigueiro de quase 20 metros de altura e as nascentes das lagoas da Precabura, da Sapiranga e do rio Cocó.

Da fauna, foram identificadas 92 espécies: sete mamíferos, 65 aves, 14 répteis e seis anfíbios. No fim da manhã, explica o agrônomo Eduardo Alcântara, eles não costumam ser vistos; aparecem mais no começo do dia e no fim da tarde. Ao longo das trilhas do parque, é possível ouvir as cigarras e o barulho de bichos correndo sobre a folhagem. O estudante Anderson Rodrigues, 11, disse que viu um sagüi, um gavião e um bico-latão. Ele e uma turma de nove estudantes de uma escola do bairro Curió foram os primeiros a visitar a floresta.

Segundo o ornitólogo Luiz Gonzaga Sales Jr., coordenador da equipe que catalogou a fauna e a flora da floresta, o parque é como um corredor no meio de edificações, fazendo uma ligação com a lagoa da Precabura para a circulação dos animais. De acordo com ele, a preservação do espaço irá atrair mais espécies de animais, considerando as aves que são migratórias.

Desenvolvimento

Além de oferecer um espaço privilegiado da natureza, a Floresta do Curió também desenvolverá atividades de educação ambiental. É o que explica a consultora ambiental do INV, Michele Matos. Segundo ela, o instituto pretende realizar cursos para formar monitores ecológicos e trabalhar com educação ambiental no espaço da floresta. A idéia é capacitar pessoas do bairro Curió para esse trabalho.

O presidente do instituto, Paulo Telles, acrescenta que será criado um horto florestal de espécies ameaçadas de extinção, como o cedro e o jatobá, para serem plantadas na própria florestas e em outros espaços da cidade. A Floresta do Curió é uma Área de Relevante Interesse Ecológico (Arie), homologada pela Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace).

SERVIÇO

Floresta do Curió: avenida Curió, 1.000, entre os bairros Curió e Messejana.

Horário de visitação: das 6 às 16 horas. Telefone: (85) 3216 8850

Retour à l'accueil