“O Pirata nunca se rende!”. Este grito de guerra foi entoado repetidas vezes, ontem, durante manifestação do movimento que reúne entidades e personalidades que defendem a permanência do Pirata Bar na Praia de Iracema. Dezenas de pessoas abraçaram, simbolicamente, o bar.

O estabelecimento deve ser desapropriado pela Prefeitura de Fortaleza para a execução do macroprojeto de requalificação da Praia de Iracema. “Queremos que a Prefeitura defina o futuro do Pirata”, afirmou Júlio Trindade, proprietário do bar.

Estiveram na manifestação, representantes do Fórum de Defesa da Praia de Iracema, Fundação Piratas Marinheiros, Quadrilha Zé Testinha, Associação dos Moradores do Bairro, Associação dos Artesãos, Associação de Moradores do Poço da Draga, dentre outros.

“O Pirata é muito importante na nossa comunidade. Além de gerar empregos, ele realiza trabalhos sociais com crianças e idosos. Ele destaca a Praia de Iracema para o Brasil e para o Mundo”, comentou João Brito, presidente da Associação de Moradores do Poço da Draga.

As entidades que defendem o bar estão colhendo assinaturas para um abaixo-assinado pedindo a permanência do Bar. Até hoje, mais de 40 mil pessoas assinaram o documento.

Há 22 anos funcionando na Praia de Iracema, o Pirata Bar emprega mais de 150 pessoas e há 12 anos tem o Selo de Empresa Amiga da Criança, da Fundação Abrinq. “Somos uma família e essa união nos tira o amargo da possível desapropriação. Queremos trabalhar e continuar na casa que erguemos”, ressaltou Trindade.

Retour à l'accueil