Overblog Suivre ce blog
Editer l'article Administration Créer mon blog
Brésil Ceara Fortaleza

Pterossaura inédito : formação rara de macrofóssil é encontrada no Cariri

Diario do Nordeste

 

 

Santana do Cariri. Mais uma descoberta da paleontologia do Cariri para o mundo. O primeiro exemplar fóssil do mundo de um pterossauro encontrado no chamado “folhelo piro betuminoso” — uma prova da existência de petróleo de forma superficial — foi encontrado no Sítio Conceição, a dois quilômetros da sede de Santana do Cariri. O achado raro aconteceu há 20 dias. O que mais chama a atenção é por ser um macrofóssil. Os registros anteriores eram de formas microscópicas de peixes e insetos. Além desse exemplar, um outro de peixe grande com filhotes.

 

O material se encontra no Museu de Paleontologia de Santana do Cariri e, no próximo mês, será divulgado para o mundo científico, no primeiro Simpósio Nacional sobre atualidades da pesquisa paleontológica na Chapada do Araripe, a se realizar no município, na comemoração dos 20 anos do museu. No local, além de um rico acervo de mais de 10 mil peças de fósseis, se encontra a maior coleção de pterossauros do mundo.

 

As espécies voadoras de pterossauros que inspiraram o cineasta americano Steven Spielberg já sobrevoaram o céu do Cariri há milhões de anos. Réplicas desses bichos podem ser vistas no Museu. Foram reproduzidos a partir de estudos dos fósseis encontrados ao longo dos anos, no maior museu a céu aberto do período cretáceo do mundo. É assim que os paleontólogos descrevem com entusiasmo a região do Cariri.

 

Um dos estudiosos no assunto, já tendo seu nome registrado em três raros exemplares fósseis, o reitor da Universidade Regional do Cariri (Urca), Plácido Cidade Nuvens, explica a existência até o momento de dois tipos de formações fósseis. Um deles na concreção calcária, a partir da lama de água doce e, onde já foram encontrados insetos, os pterossauros e tartarugas. O outro, a formação santana. Nesse, a característica maior está voltada para os fósseis de origem marinha. São os peixes de água salgada. Também já foram encontrados nessa formação peixes, tartarugas e pterossauros. Esse material pode ser visto em rochas mais endurecidas.

 

“A grande novidade está na transição do lacustre para o salgado”, diz Plácido Cidade. O achado na mina de gesso do Sítio Conceição dará uma visibilidade maior para os estudos que já são realizados na região na área paleontológica.

 

Mostra claramente a existência, segundo o reitor Plácido, de petróleo na forma superficial na região, por isso o endurecimento. Se fosse de forma profunda, afirma ele, seria possível encontrar petróleo no subsolo do Cariri. Era a redenção do rincão caririense.

 

As peças do primeiro achado de macrofósseis que se tem registro no mundo, de acordo com o professor Plácido, serão encaminhada para estudos. O fóssil de pterossauro, onde estão presentes pedaços de ossos das pernas do animal, será estudando por uma das maiores autoridades no assunto do mundo, o paleontólogo Alex Kellner, que já fez a classificação de exemplares raros como o Santanaraptor placidus kellner, realizada no final dos anos 90. O animal tem cerca de 110 milhões de anos.

 

Os cuidados são essenciais com o material. A supervalorização dos fósseis da Chapada do Araripe é hoje de conhecimento mundial. Muitas espécies raras se encontram em museus da Europa e dos Estados Unidos, material contrabandeado, e até podem ser vistas à venda da internet. Um desses casos chamou a atenção do país. O crânio de uma espécie de pterossauro, em perfeito estado, que estava sendo comercializado por R$ 1,2 milhão. Saiu também de forma ilegal do Brasil. O espécime foi extraído da formação Santana, um conjunto de rochas sedimentares na chapada. Está sendo anunciado pelo site americano PaleoDirect, de Altamonte Springs (Flórida). A forma de anúncio mostra o mercado atrativo: “Sua fonte direta de finos espécimes fósseis e artefatos do homem primitivo”.

 

SAIBA MAIS

Jazidas :

Formada há mais de 130 milhões de anos, quando o mar invadiu o sertão e formou grandes lagunas, a Chapada do Araripe é uma das principais jazidas de fósseis do planeta. Essa bacia sedimentar, que contém duas formações rochosas (Santana e Crato), é um dos únicos 40 lugares do planeta que concentram fósseis em grande quantidade e excelente estado de conservação. Essas regiões são chamadas ´Lagerstätten´ (´lugares de armazenagem´), janelas raras para a história da vida na Terra.

 

Concentração :

Na formação Santana, especialmente no seu membro Romualdo (camada de 110 milhões de anos), se concentram os pterossauros. Há, ainda, peixes, tartarugas, crocodilos e dois dinossauros.

 

CHAPADA DO ARARIPE

 

Simpósio debaterá principais descobertas :

Santana do Cariri. A comemoração dos 20 anos da inauguração do Museu de Paleontologia da Universidade Regional do Cariri, em Santana do Cariri, contará com o primeiro Simpósio Nacional sobre atualidades da pesquisa paleontológica na Chapada do Araripe. Estarão presentes ao evento as maiores autoridades nos estudos da paleontologia. A idéia é debater as principais descobertas, a riqueza existente do material da Chapada do Araripe e, também, os novos rumos a tomar.

 

O Simpósio sobre atualidades será realizado dos dias 27 a 29 de agosto de 2008. Alex Kellner, um dos maiores estudiosos de pterossauros do mundo, além de Diógenes Almeida Campos, do Departamento Nacional de Proteção Mineral (DNPM), estarão presentes. As descobertas mais recentes de pesquisas na área serão abordadas durante o evento.

 

Há 20 anos, a história da Paleontologia na Chapada do Araripe tomou um novo rumo. Era inaugurado o Museu de Paleontologia de Santana do Cariri. Hoje, são milhares de peças pertencentes ao museu. Cinco mil delas estão em exposição. A outra parte será organizada após uma ampla reforma a ser iniciada nos próximos meses, envolvendo também uma modernização do museu.

 

O Museu de Paleontologia foi doado à Urca, mediante um Contrato de Comodato. Em seguida, em 1998, houve a doação definitiva do Museu pela Prefeitura, com a devida aprovação da Câmara Municipal. Até hoje mais de 190 mil visitantes estiveram no Museu, numa cidade que tem apenas cerca de 7 mil habitantes.

 

Hoje, detém um precioso acervo de aproximadamente 10 mil peças fósseis, entre os quais todos os peixes já descritos da paleoictiofauna da Chapada do Araripe, restos de pterossauro, tartarugas, lagartos, insetos, troncos silicificados, folhas, flores e frutos, no âmbito da paleobotânica, além de anuros, crocodilianos e penas.

 

O objetivo do Simpósio Nacional, com a presença de pesquisadores notáveis que apresentarão trabalhos sobre o estado da arte da pesquisa sobre a Chapada do Araripe, será a socialização do conhecimento científico. Com isso, o evento visa, ainda, promover a divulgação do conhecimento e, também, a capacitação de pessoal para levar ao conhecimento da população a importância da bacia fossilífera da região do Araripe, no Cariri.

 

Elizângela Santos - Repórter

 

Mais informações:

Museu de Paleontologia de Santana do Cariri

Rua Dr. José Augusto de Araújo, 326 - Santana do Cariri

(88) 3545.1320

Pour être informé des derniers articles, inscrivez vous :

Commentaires