36 municípios festejam padroeira
Começam amanhã, os festejos a Nossa Senhora da Conceição no interior do Estado. O novenário será até o dia 7 de dezembro e, no dia 8, data dedicada à Virgem Maria com esse título, haverá missas solenes e procissões

Pintura, limpeza do forro, dos bancos e altares, além de uma lavagem geral de todo o templo. Os católicos do município de Pentecostes, a 88 quilômetros de Fortaleza, prepararam a igreja matriz para o início dos festejos da padroeira da cidade, Nossa Senhora da Conceição, que começam amanhã, 28, e prosseguem até o dia 8 com novenas, missas, procissões e eventos culturais. Com título de Conceição, a Virgem Maria é festejada em pelo menos 36 municípios cearenses que a têm como padroeira, a maioria localizada na Zona Norte do Estado.

Os novenários em honra de Nossa Senhora da Conceição têm início esta semana, menos em Cascavel, no Litoral Leste, onde, há quatro anos, o pároco Moacir Leite atendeu o pedido dos fiéis e programou os festejos para o período de 23 a primeiro de janeiro. "É que, no passado, a padroeira da cidade era Nossa Senhora do Ó (ver quadro) e como a comunidade pediu, agora celebramos no período em que se festeja Nossa Senhora do Ó ou da Expectação". Ele disse que o programa ainda está sendo elaborado.

De acordo com o monsenhor Francisco Sadoc de Araujo, da Paróquia da Ressurreição, em Sobral, Nossa Senhora da Conceição se tornou padroeira de vários municípios da região Norte porque os portugueses, na época da colonização, chegavam de navio e surgiam as cidades próximas ao litoral como Acaraú, Amontada, Almofala (Itarema), Bela Cruz. "Como Nossa Senhora, com esse título, é padroeira de Portugal, as primeiras capelas, no século XVII, foram em sua homenagem", informa.

Sobral também tem como padroeira Nossa Senhora da Conceição. Os festejos serão abertos amanhã, 28, às 18h30min com uma carreata saindo da igreja de Nossa Senhora de Fátima, na entrada da cidade, até a igreja matriz, no Centro. Ali, haverá a benção do Santíssimo Sacramento e o hasteamento das bandeiras. O novenário (nove dias de orações) começam quarta-feira e prosseguem até o dia 7 com o tema geral: "Jovens em Missão Guiados pelo Exemplo de Maria, Esperança da Igreja". No dia 8, haverá missas às 9h e 16 horas e, em seguida, procissão pelas ruas do centro da cidade.

A abertura da festa em Pajuçara, na Região Metropolitana de Fortaleza, será às 18 horas de hoje, de acordo com o vigário Genival de Souza. Ele diz que o tema do novenário é "Com Maria, vivenciando a deficiência em família". As novenas, na igreja matriz, serão até o próximo dia 7 a partir das 18 horas e, no dia 8, data dedicada a Nossa Senhora da Conceição, está marcada uma procissão saindo da capela de São Sebastião até a paróquia onde haverá missa solene.

Católicos de Cajazeiras, Sousa e Pombal, na Paraíba, já começam a chegar ao município de Ipaumirim para celebrar a padroeira da cidade. As festividades duram 10 dias, até o próximo dia 8 e também envolvem as capelas dos distritos de Felizardo Vieira e Sítio Barra. No dia 8, tem missa solene às 10 horas, na paróquia, no centro de Ipaumirim e procissão a partir das 16 horas. Ao final, tem a benção do Santíssimo Sacramento.

Nossa Senhora da Conceição é festejada, no Ceará, em Acaraú, Amontada, Aracoiaba, Bela Cruz, Cascavel, Deputado Irapuan Pinheiro, Farias Brito, Granjeiro, Guaramiranga, Hidrolândia, Iracema, Ipaumirim, Ipueiras, Itapiúna, Almofala (Itarema), Jaguaretama, Limoeiro do Norte, Madalena, Martinópole, Mauriti, Meruoca, Milhã, Moraújo, Pacajus, Pacatuba, Pacoti, Palhano, Pentecoste, Pindoretama, Porteiras, Potiretama, Quixeré, Redenção, Sobral, Tururu, Quiterianópoles.


SAIBA MAIS

- No ano de 1646, el-rei D. João IV declarou que tomava a Virgem Nossa Senhora da Conceição por padroeira do Reino de Portugal, prometendo-lhe em seu nome, e dos seus sucessores, "o tributo anual de 50 cruzados de ouro". Ordenou também que os alunos da Universidade de Coimbra, na formatura, jurassem defender a Imaculada Conceição da Mãe de Deus.

- D. João IV não foi o primeiro monarca português que colocou o reino sob a proteção da Virgem Maria. D. João I punha nas portas das casas inscrições louvando Nossa Senhora e ergueu o convento da Batalha à Mãe de Deus.

- Foi por provisão de 25 de Março de 1646 que se mandou tomar por padroeira de Portugal, Nossa Senhora da Conceição. Para as comemorações, foram cunhadas medalhas de ouro de 22 quilates e outras de prata que foram admitidas, por lei, como moedas correntes, as de ouro por 12 mil réis e as de prata por 600 réis.

- O dogma da Imaculada Conceição foi definido pelo papa Pio IX em 8 de Dezembro de 1854, pela bula Ineffabilis. A instituição da ordem militar de Nossa Senhora da Conceição por D. João VI sintetiza o culto que em Portugal sempre teve essa crença antes de ser dogma. - Um dogma, no campo filosófico, é uma crença ou doutrina imposta, que não admite contestação. No campo religioso é uma verdade divina, revelada e acatada pelos fiéis. No catolicismo, os dogmas surgem das Escrituras e da autoridade da Igreja Católica.

- Em 8 de Dezembro de 1904 foi lançada, em Lisboa, a primeira pedra para um monumento comemorativo do cinqüentenário da definição do dogma. Estiveram presentes várias irmandades de Nossa Senhora da Conceição, de Lisboa e de todo Portugal. A mais antiga é a da atual freguesia dos Anjos, que foi instituída em 1589.

- Nossa Senhora do Ó é uma devoção mariana surgida em Toledo, na Espanha. O arcebispo Santo Eugênio estipulou que a festa da Anunciação (quando o anjo anunciou a Maria que seria a mãe de Jesus, segundo a Bíblia) ocorresse no dia 18 de dezembro. Santo Ildefonso era sobrinho de Santo Eugênio e o sucedeu no cargo. Determinou que a festa fosse celebrada com o título de "Expectação do Parto da Beatíssima Virgem Maria". Pelo fato de, nas vésperas (orações feitas ao cair da tarde), se proferirem as antífonas maiores (rezadas antes da leitura dos Salmos e dos Evangelhos), iniciadas pela exclamação "Oh!", o povo teria passado a denominar essa solenidade como Nossa Senhora do Ó.


Fonte: Portugal - Dicionário Histórico, Corográfico, Heráldico, Biográfico, Bibliográfico, Numismático e Artístico, Volume V, pág. 122, 1994.

 

 

 

Retour à l'accueil